01/12/2016

Ex-atleta da base gatense, Manu é tratado como joia no Grêmio


O Pulo do Gato/SANASA é nacionalmente conhecido por ter um excelente trabalho de desenvolvimento de atletas na sua base do futsal. São inúmeros os garotos espalhados por clubes de futebol de campo e jogadores já em equipes profissionais do futsal nacional e mundial que passaram pela base aurinegra.

Emanuell Silva Ferreira, mais conhecido como Manu, é mais um caso desses. Com apenas 10 anos, o hoje atleta das categorias de base de futebol campo do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense jogou no Gato Campineiro em 2014, antes de despertar o interesse dos grandes clubes brasileiros.

Ferreira, pai do atleta, conta o início da história. “Ele começou com 6 anos no futsal, na escolinha do Falcão, em São Luís do Maranhão. Aos 7, disputou campeonatos estaduais pela cidade, e com 8 anos, um amigo meu que o viu jogar, me disse para levá-lo para o Santos. Viemos para São Paulo e demorou um pouco, então surgiu a chance de jogar no Pulo do Gato e nós topamos”, relembra.

Em Campinas, a jovem promessa disputou alguns campeonatos e teve destaque. “Certa vez, o professor Danilo me chamou e atentou para os movimentos do Manu. Disse que ele era muito rápido, que pensava a frente, então ele tinha essa desenvoltura desde cedo”, revela Ferreira.

No Pulo, Manu conheceu também uma estrutura de alto nível de futsal, e segundo seu pai, se a modalidade tivesse mais recursos financeiros, o garoto continuaria no futebol de salão. “Foi muito bom o período em Campinas. Pela estrutura, pelos campeonatos e pelos treinamentos. No futsal ele é crânio, mas chegou um determinado momento que o PC, um amigo meu, viu ele jogando e me falou do Grêmio, que tinha conhecidos por lá. Quando o levamos, ele foi aprovado nos testes em 20 minutos, e depois ainda fez testes e passou no São Paulo, teve propostas do Atlético Mineiro e Corinthians. Pela proximidade com o PC, firmamos o compromisso de vir para o sul, e aqui estamos até hoje. O Manu é muito focado, centrado e sempre converso com ele para nada disso subir à cabeça”, conta.

Hoje Manu é reconhecido por onde passa. Há pouco tempo, o garoto disputou um campeonato no Uruguai e foi o centro das atenções. Ele tem, inclusive, um livro no qual é o protagonista de exemplos de posicionamento, chutes e cabeceios para futebol. Na sua página no Facebook (@manu10oficial), o meia e hoje capitão da Sub-10 gremista faz postagens sobre seu dia-a-dia e, sempre que fala para a mídia a respeito do início de sua carreira, lembra dos tempos de Pulo do Gato.

Se o reconhecimento acontece por parte do garoto, por ainda não existir na FIFA nenhuma regularização sobre o futsal, o Pulo do Gato pretende, a partir de 2017, mudar sua política como clube. Segundo a diretoria aurinegra, formar um jogador apenas por formar e depois perde-lo para o futebol de campo sem um retorno financeiro que poderia ser reinvestido em novos talentos é complicado. Em virtude disso, foi planejada uma nova maneira de trabalhar apenas com crianças interessadas em jogar futsal e, em breve, novas informações serão divulgadas.

O Pulo do Gato Futsal/Sanasa conta com os patrocínios da Umbro, SANASA, Mundo Verde, CPN Engenharia, Cunzolo Locadora de Guindastes, GS+AD Arquitetura, CDE, e FIEC. Com o apoio das Faculdades Anhanguera Educacional, Academias Iron Company, Academia Golden Life e Academia Hammer Sports.

Informações: Rafael Del Giudice/Agência Pulo
Foto: Divulgação